Banco Solidário Animal

Programa:

O Banco Solidário Animal é uma das iniciativas mais importantes da causa animal. Destina-se a providenciar alimento a animais que estão a cargo de Associações, Famílias Carenciadas e de Pessoas Sem Abrigo sinalizados e apoiados pelos diferentes Programas de Apoio da Animalife para, deste modo, se evitar o abandono e a consequente sobrepopulação de animais quer na rua quer nos albergues.

A Animalife, entidade organizadora e gestora do Banco Solidário Animal, conta com o apoio da Sonae com o objectivo de sensibilizar a população para a necessidade de contribuir para a melhoria de vida destes animais.

O Banco Solidário Animal ocorre duas vezes por ano, com a participação direta de mais de 165 Associações de Proteção Animal e de mais de 3000 voluntários a nível nacional.
 

Missão:

Garantir o sustento das primeiras necessidades dos milhares de animais abandonados ou em risco, de modo a assegurar a sua sobrevivência e deste modo podermos também proteger o meio ambiente e a saúde pública.

A primeira iniciativa do Banco Solidário Animal, em 2012, esteve presente em todos os hipermercados Continente (exceto Continente Bom dia e Continente Modelo). O Continente e a Animalife angariaram mais de 108 toneladas de ração e centenas de outros produtos essenciais para tratamento diário dos animais. Foram recolhidas no total cerca de 742.000 refeições, fazendo desta primeira iniciativa um verdadeiro sucesso.

Em 2014 o Banco Solidário Animal estendeu-se a todas as lojas Continente estando a decorrer em 160 estabelecimentos de Norte a Sul do país e, pela segunda vez, em Setembro, na Região Autónoma da Madeira. Na 4ª iniciativa do Banco Solidário Animal, realizada em maio de 2014, foram reunidas 190 toneladas de ração.

O Banco Solidário Animal tem evoluído de ano para ano, conseguindo assim ajudar cada vez mais animais em Portugal.

Testemunhos

  • Zulmira Marinho, presidente e sócia fundadora da ALAAR, de Ponte de Lima

    “Participamos nas recolhas nacionais do Banco Solidário Animal desde sempre, desde o início. Isso é muito importante para nós. Temos muitos custos, e, antes da existência do BSA, éramos obrigados a comprar ração. Agora já não.”

  • Filipe Tavares, presidente da Associação Amigos Animais Abandonados do Seixal

    "Participar no Banco Solidário Animal (BSA), dá um enorme jeito”, esclarece o responsável, Filipe Tavares. 
    Graças ao BSA, a AAAS consegue apoiar famílias carenciadas da Margem Sul que têm animais de estimação e não conseguem pagar todos os custos associados, ajudando assim a evitar o abandono. “A maioria da ração é mesmo para as nossas famílias carenciadas”, sublinha.

  • Sofia Gonçalves, vogal da direção da Associação de Proteção aos Animais (APCA) de Sintra

    “O facto de conseguirmos recolher bens no BSA leva a que não tenhamos que gastar esse dinheiro em comida, e possamos canalizá-lo para despesas veterinárias, de limpeza das instalações, medicação ou rações específicas para alguns dos nossos animais com determinados problemas de saúde, por exemplo”